Fortune Mouse

SEÇÕES

Rany Veloso

Coluna da jornalista Rany Veloso, direto de Brasília

Fachin libera Lula para as eleições de 2022

O juiz, na época, Moro, não teria competência para julgar os casos

| EBC
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Por Rany Veloso

Na tarde desta segunda-feira (08), o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou todas as condenções do ex-presidente Lula referentes à operação Lava-Jato, as quais envolviam supostamente esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro para imóveis de Lula, o Sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá, e ainda doações ao Instituto Lula e a compra do terreno do mesmo. Fachin analisou as questões processuais e não o mérito, ou seja, não levou em consideração o conteúdo das causas. O ministro considerou que Sergio Moro, na época, juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, não era o juiz natural dos casos, pois o juízo deveria atuar somente em casos envolvendo desvios na Petrobras. Com a decisão, Lula volta a ser elegível e pode disputar a presidência em 2022.

Fachin argumenta que outros julgamentos no plenário do STF restringiram a área de competência da Vara de Curitiba. "Inicialmente, retirou-se todos os casos que não se relacionavam com os desvios praticados contra a Petrobras. Em seguida, passou a distribuir por todo território nacional as investigações que tiveram início com as delações premiadas da Odebrecht, OAS e J&F. Finalmente, mais recentemente, os casos envolvendo a Transpetro (subsidiária da própria Petrobras) também foram retirados da competência da 13ª Vara Federal de Curitiba", diz trecho da nota enviada pelo gabinete do ministro.

Após a decisão do ministro, os processos passarão para Justiça Federal do Distrito Federal, que vai dizer se os atos nos processos serão validados e reaproveitados



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
Fortune Mouse Mapa do site

1234